CIBERESFERA

Weblog written in portuguese and sometimes in english.
| audiences | digital inclusion and active ageing | social networks, participation and social media | media and digital literacy
| audiências | inclusão digital e envelhecimento ativo | redes sociais, participação e media sociais | literacia mediática e digital

Link

O meu ex-aluno Luí­s Monteiro voltou à blogosfera. Finalmente. Fazia falta.


Academic journal

Multimedia storytelling: when is it worth it?

Um excelente artigo de Nora Paul e Laura Ruel. (dica de Mindy McAdams)


Motor de busca de Media em blogs

Fernando Zamith acaba de lançar um motor de busca em blogs sobre temas de media e jornalismo. Uma excelente ideia. Link aqui.


Espí­rito comunitário

Convince me – debates online
ConceptShare – ambiente colaborativo de design


o bairro web2.0

eby_foobar_35t.png

(via petitpois)


actualização da agenda

[link no topo do blog]

II Jornadas Internacionais de Jornalismo
Universidade Fernando Pessoa, 2 de Março de 2007

CONGRESSO INTERNACIONAL PREMIUM
Integração Profissional dos Licenciados em Jornalismo / Ciências da Comunicação
Universidade do Porto, 8 e 9 de Março de 2007
(blog)


change.org

O Change.org é uma «social network for hundreds of social causes».


Links do dia

Posto de escuta – um olhar interessante e interactivo sobre a web. Para seguir diariamente.
Design Matters – excelente blog da designer Debbie Millman. Ideias, reflexões, ligações interessantes, pistas de leitura, sugestões de podcasts…
Blogumentary
– um documentário sobre weblogs.
Design Observer – escritos sobre design e cultura. Um espaço a não perder. (via posto de escuta)
Who links to me? – quem faz links para o meu blog?
Nicktropolis – o Second Life dos miúdos.


o novo Público

mynoteIT.com

Um link para ajudar a organizar o estudo.


iTunes

O REFERENDO NA WEB

A Internet, enquanto nova esfera da opinião pública, permite a democratização da difusão de comunicação. Trata-se da liberdade de acesso à difusão. Logo, os webzines, as páginas pessoais, os fóruns, os chats, as listas de discussão, os weblogs (as comunicações mediadas por computador) dão existência a um novo fenómeno – a auto-edição. Os cidadãos foram promovidos de receptores passivos a emissores. Nas últimas semanas, a web tem sido palco de um intenso debate sobre o referendo ao aborto, agendado para o próximo dia 11 de Fevereiro. Nos blogs, no YouTube, nos sites e fóruns oficiais dos movimentos pelo Sim e pelo Não.

O referendo no YouTube

No YouTube assistiu-se a um fenómeno verdadeiramente surpreendente: Francisco Louçã e Marcelo Rebelo de Sousa trocaram argumentos sobre a pergunta do referendo. O sketche dos Gato Fedorento que fazia uma rábula às razões de Marcelo foi visto por mais de 150 mil utilizadores. Os tempos de antena, peças televisivas e intenções de voto de utilizadores comuns estão a dominar o YouTube, que nas últimas semanas se tornou um espaço de discussão polí­tica. O primeiro ví­deo que Marcelo Rebelo de Sousa colocou online, intitulado As razões do Assim NÃO, chegou a estar entre os 10 mais vistos a nível mundial.

Alguns ví­deos:
Marcelo Rebelo de Sousa: as razões do Assim Não
Resposta de Francisco Louçã a Marcelo
Sketche Gato Fedorento

O referendo nos blogs

O argumento da rede enquanto instrumento que potencia o activismo e a militância dos netcitizens à escala mundial e numa esfera glocal – globalizando o local, torna-se evidente em exemplos como a contestação organizada na web (em particular em weblogs e grupos de discussão no Yahoo) contra a guerra do Iraque ou, ainda mais recentemente, quanto à eleição com maioria do Hamas nas eleições palestinianas. O referendo sobre a despenalização do aborto em Portugal está a fazer multiplicar a blogosfera portuguesa.

Alguns blogs do NÃO:
Razões do Não
Açores pela Vida
Blogue do Não
Aqui há esperança

Alguns blogs do SIM:
Pelo Sim
Blogue do Sim
Aborto: Direito a Decidir
Sim no Referendo

O referendo nos sites, institucionais e comunitá¡rios

As novas redes sociais na rede, derivados das potencialidades das Comunicações Mediadas por Computador (CMC’s) e dos chamados softwares sociais, remetem para activismo e militância. Tradicionalmente associados à área sócio-polí­tica, estes conceitos ganham no ciberespaço uma amplitude maior. As ferramentas da web permitem aos utilizadores transpor estas noções para a escala global, potenciando as relações interpessoais e a interacção social em torno de interesses e causas comuns. E todos os interesses e causas têm lugar na rede. O referendo ao aborto não é excepção. Neste sentido, aos sites associados a entidades juntam-se dezenas de sites de grupos de cidadãos independentes.

Alguns sites sobre o SIM:
Médicos pela Escolha
Jovens pelo Sim
Em Movimento pelo Sim
Movimento Democrático de Mulheres

Alguns sites sobre o Não:
Assim Não
Não Obrigada
Somos Médicos, por isso Não
Positivamente Não

(excerto do texto a publicar no jornal “Centro”, no dia 7 de Fevereiro)


Links – da Web2.0 à Web3.0

Widgetbox – Widgetbox is a directory and syndication platform for web widgets for blogs and other web pages.

Teapotters – Teapotters is the first 3D Community that let you share and publish your 3D models with others. No more JPG with our real time 3D viewing & full online storage.


Podcasting

MyPodcast.com – alojamento gratuito para podcasts

Pocastusermagazine.com – revista para podcasters




 template credits: scribblescratch.com